CONSCIÊNCIA (Dicionário) A PERCEPÇÃO QUE O ORGANISMO TEM DE SI MESMO E DO QUE O CERCA.

    INOCÊNCIA      IGNORÂNCIA
( | )
CONHECIMENTO E AUTO-INTERESSE
(TER CONSCIÊNCIA)

Mente Consciente Consciência <> Sentido do Self

Estado de Mente Consciente TER UMA EMOÇÃO TOMAR CONHECIMENTO QUE A ESTAMOS SENTINDO.

Aristóteles o que distingue os seres humanos é o apetite de admirar-se com a sua própria natureza. O que poderia ser mais difícil de conhecer do que conhecer o modo como conhecemos?

- A Consciência abriu caminhos no decurso da evolução humana para algumas criações: consciência moral. Religião, organização social e política, artes, ciências e tecnologias. É uma função biológica crítica que permite saber que estamos sentindo tristeza ou alegria, sofrimento ou prazer, vergonha ou orgulho, pesar etc...

- É a chave para que se coloque em escrutínio uma vida, seja isso bom ou mal. Num nível mais simples permite reconhecer um impulso para permanecer vivos e cultivar o interesse pelo Self. Num outro mais complexo ajuda a cultivar interesse pelas pessoas e melhorar a arte de viver.

PROBLEMAS DA CONSCIÊNCIA:

- Como o cérebro no organismo humano engendra os padrões mentais que denominamos de Imagens de um Objeto?

- Como o cérebro também engendra um sentido do self no ato de conhecer?

Você está lendo o texto e construindo um significado das palavras à medida que lê. Além dessas imagens, existe também uma presença que significa você como observador das imagens, ou seja, existe você em uma relação específica com um objeto. E nesse sentido, a Consciência, dos seus níveis mais elementares aos mais complexos, é o padrão mental unificado que reúne o objeto e o self.

Os dois problemas propostos como é gerado o filme no cérebro e como são gerados o proprietário e observador para o filme dentro do filme.

Abordagem da Consciência
- Mente, comportamento e cérebro

- Reflexões sobre dados neurológicos e neuropsicólogos
• Fato 1 – alguns aspectos da consciência podem ser relacionados à operação de regiões e sistemas cerebrais específicos (uma anatomia da Consciência?)
• Fato 2 – consciência e vigília e consciência e atenção básica podem ser distinguidos
• Fato 3 – consciência e emoção não são separáveis
• Fato 4 – a consciência não é um monólito e pode ser separada em complexos e simples
• Fato 5 – a consciência é explicada muitas vezes simplesmente em termos de outras funções cognitivas, como linguagem, memória, razão, atenção e memória operacional.

- O tipo mais simples de consciência a Consciência Central que fornece o sentido do self no aqui e agora. Não ilumina o futuro e o passado único que permite vislumbrar tem a ver com o ocorrido no instante imediatamente anterior.

- O tipo mais complexo
a Consciência Ampliada que dá o sentido de identidade e situa a pessoa num ponto tempo histórico individual. “Se é verdade que a Consciência Central é o rito de passagem para o conhecimento, igualmente é verdade que os níveis de conhecimento que permitem a criatividade humana são aqueles que apenas a Consciência Ampliada faculta. Contudo, a Consciência Ampliada não é uma variedade independente da consciência; ela se constrói sobre o alicerce da Consciência Central.

- Os dois tipos de consciência correspondem a dois tipos de self, o self central e o self autobiográfico. Os dois tipos de self são inter-relacionados.


A BUSCA DO SELF / POR QUE PRECISAMOS DA CONSCIÊNCIA?

- COMO TOMAMOS CONHECIMENTO DE QUE ESTAMOS VENDO DETERMINADO OBJETO?

- COMO NOS TORNAMOS CONSCIENTES NO SENTIDO PLENO DA PALAVRA? COMO O SENTIDO DO SELF É IMPLANTADO NA MENTE NO ATO DE CONHECER?

- OS DOIS ATORES PRINCIPAIS O ORGANISMO E O OBJETO

- O ORGANISMO AQUELE DENTRO DO QUAL A CONSCIÊNCIA OCORRE; O OBJETO É QUALQUER OBJETO QUE VEM A SER CONHECIDO NO PROCESSO DA CONSCIÊNCIA.

- A CONSTRUÇÃO DO CONHECIMENTO REQUER UM CÉREBRO PARA CONSTITUIR REPRESENTANTES PARA O ORGANISMO, O OBJETO E PARA A RELAÇÃO ENTRE ELES.

- O CORPO CONTINUA A SER O OBJETO TODO O TEMPO E ASSIM PERMANECERÁ ATÉ A MORTE, POR QUE?

- PORQUE APENAS UM PEQUENO CONJUNTO DE ESTADOS DO CORPO É COMPATÍVEL COM A VIDA E O ORGANISMO É PROJETADO PARA MANTER ESSE CONJUNTO REDUZIDO E EQUIPADO TODOS OS MOMENTOS. ASSIM, ALGUMAS PARTES DO CÉREBRO SÃO LIVRES PARA PERAMBULAR PELO MUNDO E PODERÁ MAPEAR QUALQUER OBJETO QUE O ORGANISMO PERMITA; OUTRAS PARTES DO CÉREBRO, AS QUE REPRESENTAM O PRÓPRIO ESTADO DO ORGANISMO, NÃO SÃO LIVRES PARA PERAMBULAR, SÃO A AUDIÊNCIA CATIVA DO CORPO E ESTÃO À MERCÊ DA MESMICE DESTE.

- O ORGANISMO, CONFORME REPRESENTADO NO INTERIOR DO CÉREBRO, É UM PROVÁVEL PRECURSOR BIOLÓGICO DO SENTIDO DO SELF.

- AS RAÍZES PROFUNDAS DO SELF, INCLUINDO O SELF COMPLEXO QUE ABRANGE A IDENTIDADE E A INDIVIDUALIDADE, ENCONTRAM-SE NO CONJUNTO DE MECANISMOS CEREBRAIS QUE MODO CONTÍNUO E INCONSCIENTE MANTÉM O ESTADO CORPORAL DENTRO DE LIMITES ESTREITOS E ESTÁVEIS PARA A SOBREVIVÊNCIA.


O INÍCIO DA CONSCIÊNCIA

- O sentido do self no ato de conhecer um objeto é uma infusão de conhecimento novo, criado continuamente dentro do cérebro contanto que os “objetos”, realmente presentes ou evocados, interajam com o organismo e o levem a mudar. Esta é a primeira resposta à questão: a quem pertencem os padrões mentais contínuos que agora se revelam? A resposta é que eles pertencem ao organismo, representado pelo proto-self.

- A consciência começa como o sentimento do que acontece quando vemos, ouvimos ou tocamos. É um sentimento que acompanha a produção de qualquer tipo de imagem – visual, auditiva, tátil, visceral – dentro do nosso organismo físico. Os organismos não equipados para gerar uma consciência central estão condenados a produzir, ocasionalmente, imagens visuais, auditivas ou táteis, mas não são capazes de chegar a conhecer o que produziram.

- Desde seus mais humildes princípios, consciência é conhecimento; conhecimento é consciência.

ÀS VOLTAS COM O MISTÉRIO

Consciência X Consciência Moral – por consciência, referimo-nos ao conhecimento de qualquer objeto ou ação atribuída ao self, ao passo que consciência moral concerne ao bem ou ao mal que podem ser discernidos em ações ou objetos./ Consciência X mente-consciência é a parte da mente relacionada ao sentido manifesto do self e do conhecimento; a mente não é apenas consciência, como vemos em alguns pacientes.
A consciência é um ingrediente indispensável da mente humana criativa, mas não é toda a mente, tampouco é o ápice da complexidade mental.

A ética e o direito, a ciência e a tecnologia, a arte e a compaixão ápices do desenvolvimento biológico.

ESCONDE-ESCONDE

- Parte da mente é usada como uma tela para impedir outra parte de perceber o que se passa em outro lugar. Há sempre uma tela que oculta, embora não necessariamente intencional.

- O corpo é uma das coisas que a tela oculta com mais eficácia, referindo ao seu íntimo, seu interior. De outro modo, saberíamos com facilidade que emoções e sentimentos relacionam-se com o corpo. Às vezes, usamos a nossa mente para esconder uma parte de nosso ser de outra parte de nosso ser. Esses desvios, no entanto, tem seus custos, pois tende a impedir a percepção da origem possível do self.

- O fluxo e o refluxo de estados internos do organismo, altamente reprimido, controlado de modo inato pelo cérebro e dentro deste continuamente sinalizado, constitui o pano de fundo para a mente e, mais especificamente, o alicerce para a entidade que denominamos de self.

- A consciência começa quando os cérebros adquirem o poder – o poder simples, devo acrescentar – de contar uma história sem palavras, a história de que existe vida pulsando em um organismo. A consciência emerge quando essa história primordial pode ser contada usando o vocabulário não verbal universal dos sinais corporais.