Não  é    uma  arte, uma  habilidade,  é  antes  de  mais nada uma “ciência” – consideramo-la um “saber” , não uma atividade dependente de talentos inatos, de uma personalidade  privilegiada.  

HABILIDADES  IMPORTANTES

Respeito

Capacidade de aceitar o paciente como uma  pessoa  única,  adiando  julgamento crítico;  aceitar  o  paciente  como  ele  é.

Sinceridade

Capacidade  de  ser  você  mesmo  numa  relação, não  se  escondendo  atrás  de  um  papel  ou fachada.

Empatia

Capacidade de perceber com exatidão a   experiência e os sentimentos do paciente e de comunicar-lhe  esta  compreensão.