Dois Milênios de Medicina

 

Do Parto de Maria ao Nascimento

da Biotecnologia

 

Fontes: A Assustadora História da Medicina, Richard Gordon, Ediouro, 1996; e O século dos Cirurgiões, Jurgen 

Thorwald, Hemus Editora

.

Ano 01: Jesus nasce simbolizando toda a transição do curandeirismo para a medicina primitiva. Certamente o parto não foi pélvico, ou ao menos a criança não teria sobrevivido - a não ser que a família pudesse, como a de César, providenciar cesariana. E o casal já conhece técnicas mínimas de higiene, para que o próprio nascimento de Jesus não tenha de ser um milagre, em meio a uma longa viagem numa manjedoura.

Ano 50: Celsus registra os sinais da inflamação: calor, rubor, tumor, dor. Quatro séculos antes, Hipócrates já recomendava observar os doentes e registrar sintomas e melhoras comuns, inventando o diagnóstico. Também deixou princípios que formam o juramento profissional dos médicos.

Ano 200: Galeno, como muitos gregos, acredita que a saúde depende dos humores - sangue, muco, bílis, ao contrário de Ying/ Yang dos chineses. Médico de gladiadores, um dia anota que o coração, arrancado do peito, continua a bater, observação pioneira dos transplantes.

Ano 500: Susruta, médico hindu, suspeita que a malária é disseminada não pelo ar, mas pelos mosquitos, e a peste pelos ratos.

Séc. VI: Salerno torna-se centro da excelência médica. Napoleão fechará ali a Escola de Medicina em 1811. Não existe mais, bombardeada pelos aliados em 1943.

1537: Ambroise Paré resolve tratar ferimentos de batalha com emulsão de ovos, água de rosas e terebentina, em vez de óleo fervente. Depois aboliria a castração como cura das hérnias masculinas.

1543: Andreas Versalius publica De Humani Corporis Fabrica, detalhando em textos e desenhos os músculos, ossos e ligamentos, resultado de paixão por anatomia iniciada ainda estudante, quando achou um esqueleto completo pendurado num patébulo e o levou para casa, era uma preciosidade na época para um médico.

1553: Michael Servetus é queimado vivo por ter descoberto a circulação pulmonar.

Paracelsus (1668-1738), "bêbado, arrogante, agressivo e grosseiro", na Escola de Medicina de Montpellier, começa suas aulas queimando os livros de Galeano e zombando dos médicos tradicionalistas: "Não agrado a ninguém, só aos doentes que curo"...

1628: William Harvey demonstra a circulação do sangue, em vez da crença de que "entra e sai do corpo como as marés"...

Antony Van Leeuwnhoeck (1632-1723), ótico holandês, inventa acidentalmente o microscópio, ao introduzir duas lentes num tubo, tornando-se o primeiro homem a ver um espermatozóide, dele mesmo.

Marcelo Malpighi (1628-94) aperfeiçoa o microscópio e vê os capilares, solucionando a velha questão de Harvey de como o sangue vai aos músculos e deles volta. O corpo humano passa a ser estudado intensiva e jubilosamente.

Regnier de Graaf (1641-73) descobre que os seres humanos são concebidos não só pelo esperma, mas também pelos óvulos.

1747: James Lind, médico em navio militar, submete 12 marinheiros com escorbuto a dietas diferentes. Em 1897, Christian Eijkman, médico do exército holandês, pensará que o béri-béri é uma infecção dos soldados. Até ver que as galinhas, no terreiro, adoecem comendo arroz integral. São dois marcos no longo caminho para descoberta das vitaminas.

1756: Percival Pott cai do cavalo, tem fratura exposta da tíbia mas faz com que seja transportado por carregadores sobre uma porta, com a fratura imobilizada, e consegue salvar a perna sem amputação.

1764: John Abernethy (1764-1831) aconselha obesos: "Vivam com seis pence por dia e tratem de ganhá-los!..." Às mulheres diz "madames, comprem cordas de pular. E sabem que há mais de 30 metros de entranhas apertadas debaixo desses espartilhos?"

Leopoldo Auenbrugger (1722-1809) vê o pai batendo os dedos nos barris para verificar a quantidade de vinho, e inventa o método da percussão no peito do doente para descobrir fluídos.

1789: Dominique Larrey inventa a "ambulância voadora", caixa leve sobre duas rodas, para retirar soldados feridos, antes que morressem esperando o fim da batalha.

1796:Edward Jenner nota que ordenhadoras que já pegaram a varíola bovina, ao lidar com as tetas das vacas, não pegam a varíola humana. Estuda a idéia dois anos antes de inocular pus das feridas de uma ordenhadora em arranhões no braço de um menino. Depois de duas semana, inocula pus de varíola humana no menino, que nada tem: surge a vacinação.

1798: Philippe Pinel manda tirar as correntes de doentes mentais internados. Em 1796, William Tuke asila dementes sem correntes nem camisas de força, algemas, grilhões ou mordaças.

John Brown (1810-82): Não pensem que os estudantes de Medicina não tem coração. eles não são piores nem melhores do que vocês. Superam seus horrores profissionais e fazem seu trabalho, e neles a piedade - como emoção - empalidece, enquanto a piedade, como motivo, ganha força e objetivo. é bom para a natureza humana que seja assim."

1816: René Laennec descobre o estetoscópio, ao improvisar um cone de papel para ouvir o coração de uma jovem de seios grandes.

1843: Robert Koch praticamente abandona o consultório para cultivar bacilos e inocular em ratos. Descobre como colori-los, para ficarem bem visíveis e convencíveis, fotografando os da febre traumática, erisipela, tétano, gangrena, cólera e tuberculose. No mesmo ano, a vulcanização da borracha permite preservativos eficientes, práticos, baratos e não volumosos como as tripas de carneiro usadas até então.

1845: Horace Wells vê num circo uma pessoa se ferir e nada sentir, sob efeito do gás hilariante. No dia seguinte, o dentista faz seu assistente lhe arrancar um dente, sob efeito do gás, e está inventada a anestesia. Um mês depois, apresenta a descoberta a médicos e alunos do Hospital geral de Massachussetts - e é vaiado.
1846: Joseph Lister, clinicando em Viena, nota muito menos mortandade nos partos por parteiras, do que nos atendidos por estudantes, que antes, fazem dissecação no necrotério e nem lavam as mãos depois. Faz lavarem as mãos com cloreto de sódio, a mortandade cai de 18 para 1%. Em 1867, depois da primeira extirpação de seio, sem infecção, em sua própria irmã, ganha coragem para defender seus princípios perante a Sociedade Médica Britânica. Muito poucos passam a praticar seus métodos, mas acabam comprovando a eficácia da assepsia.

 

1857: Claude Bernard descobre que o fígado produz açúcar mesmo quando se ingere açúcar; e começa a endocrinologia.

 

1864: Louis Pasteur, químico, descobre que o envinagramento dos vinhos, que devasta a vinicultura francesa, é causado por bactérias que podem ser eliminadas por aquecimento, a pasteurização.

1868: Carl Wunderlich proclama que a febre é sintoma, não doença.

Bismarck, como chanceler da Alemanha faz aprovar, entre 1883 e 89, as primeiras leis amparadoras da saúde pública, hoje usuais em todo mundo, e declara: "Dê ao trabalhador o direito ao trabalho, desde que tenha saúde. E cuide dele quando ficar doente e quando ficar velho".

1895: Wilhelm Rontgen, professor de física, põe a mão no tubo de vácuo do laboratório, e vê os próprios ossos: surgia o raio-X. O inventor doou o Prêmio Nobel, recusou chamar a invenção de raio-Rontegen e morreu pobre.

 

1898: Marie e Pierre Curie descobrem o rádio.

Florence Nighitingale (1820-1910), como superintendente de hospital feminino, passa a comprar alimentos frescos e no atacado para a cozinha, faz ela própria geléias nutritivas, manda fazer prateleiras para os alimentos que ficavam no chão, e instalar água quente e campainha para as enfermarias, matar os ratos e parasitas. Caem tanto o número de infecções como o preço do internamento. Depois, chefiando enfermeiras no Hospital Geral Inglês na Turquia, seus ensinamentos tornariam a enfermagem uma profissão.

1900: Sir Almroth Wright cria a vacina tifóide, injetando bacilos em cavalos para produção de anti-corpos em quantidade.

1905/1914: Sigmundo Freud funda a psicanálise, publicando nesse período os casos básicos de suas teorias, que seriam revistas a ponto de Stekel dizer que "um anão no ombro de um gigante pode ver mais além do que o gigante"; ao que Freud respondeu: "É, mas um piolho na cabeça de um astrônomo não pode..."

 

 

1929: Alexander Fleming desconfia que o bolor contém algo que "come" os germes. Em 1941, Howard Florey obtém a penicilina de Fleming já usando levedo de cerveja. O primeiro paciente tratado com penicilina morre, mas é um sucesso médico o começo dos antibióticos.

1953: James Watson e Francis Crick descobrem a estrutura do DNA, começando a desvendar o incrível material genético. O homem começa a explorar a química interior ao mesmo tempo que o espaço exterior através da Astronáutica.

1957: Harold Gillies formaliza a cirurgia plástica, inclusive com a frase: "Uma bela mulher deve ser mantida bela jovem enquanto tiver idade para desfrutar a beleza e a juventude". E as guerras modernas forneceram milhares de casos que fazem avançar rapidamente as cirurgias reparadoras.

1967: Christian Barnard realiza o primeiro transplante do coração na Cidade do Cabo.