Perguntas Freqüentes em Relação ao SINABIO

1 - Quais os acidentes que devem ser notificados?
      Devem-se notificar todos os acidentes envolvendo assistência a saúde, independente do risco, com os seguintes materiais biológicos: sangue, fluídos com sangue, líquor, secreções sexuais, líquidos pleural, pericárdico, ascítico, articular ou amniótico em:

- Profissionais de saúde
- Bombeiros
- Policiais
- Profissionais de limpeza em serviços de saúde
- Cuidadores domiciliares
- Indivíduos em situação de atendimento de saúde eventual, por ex. cidadão comum socorrendo alguém com sangramento.

2 - Como devo registrar as exposições não ocupacionais como, por exemplo, exposição sexual ou ferimento em coletor de lixo por agulha encontrada no lixo domiciliar?
      Os acidentes com materiais biológicos potencialmente infectantes, em indivíduos que não se enquadram em nenhuma das categorias acima descritas, devem ser avaliados quanto ao risco e a pertinência de se utilizar ou não quimioprofilaxia e fazer acompanhamento, não devendo, entretanto, ser incluídos no SINABIO.

3 - Como devo registrar exposições ocupacionais com outros materiais biológicos?
      Os acidentes com as seguintes secreções humanas: lágrimas, suor, urina, fezes, secreção nasogástrica, escarro e secreção purulenta não devem ser notificados no SINABIO. Fica a critério de cada serviço a necessidade e a forma de registro destes acidentes.

4 - Quem deve fazer o acompanhamento dos profissionais acidentados?
      Não há determinação a esse respeito. O serviço que estiver melhor estruturado deverá ficar responsável pelo atendimento inicial e seguimento do acidentado. Entretanto, é importante lembrar que há necessidade legal de abertura de CAT (Comunicação de Acidente de Trabalho) para todos os acidentes ocupacionais.

5 - Quem deve fazer a notificação do acidente?
      O mesmo serviço responsável pela notificação das DNC (Doenças de Notificações Compulsórias) da instituição deverá receber a ficha preenchida e proceder a notificação, seguindo os passos e o fluxo previamente estabelecidos para as demais notificações.

6 - Devemos administrar anti-retrovirais para acidentados com paciente desconhecido ou com fonte com sorologia desconhecida?
      De um modo geral, estes tipos de acidentes não devem ser medicados, mas precisam ser seguidos adequadamente. Somente em situações de acidentes graves e com grande evidência clínica-epidemiológica de exposição ao HIV dever-se-á recomendar anti-retrovirais para acidentes com exposição duvidosa. Nunca se deve deixar de fazer a sorologia da fonte e adequar ou suspender o ARV de acordo com o resultado da mesma.

7 - Por quanto tempo devemos continuar o seguimento do funcionário acidentado quando temos em mãos os resultados negativos das sorologias do paciente-fonte?
      Nesta situação, o funcionário, uma vez tendo recebido os resultados de suas próprias sorologias deverá receber alta do seguimento. Deve-se, contudo, de acordo com os resultados de sua sorologia para hepatite B, encaminhá-lo a vacinação ou revacinação. Se o funcionário tiver algum resultado positivo para hepatite B ou C ou para o HIV, deverá ser encaminhado a um especialista.