Resolução - RDC nº 105, de 31 de maio de 2001 (*)
D.O. de 13/12/2001

Fonte: Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária)

(*) Republicada por ter saído com incorreção, do original, no D.O., dia 13/12/2001, página 242, seção J.

 

Informações adicionais sobre o potencial cancerígeno de alguns componentes presentes ou gerados por produtos derivados do tabaco

Na fumaça do cigarro que utiliza tabaco em sua composição, estão presentes cerca de 4720 substância tóxicas. Entre elas o alcatrão, constituído de substâncias cancerígenas, o monóxido de carbono, que prejudica a obtenção e utilização do oxigênio pelo organismo, e a amônia, que potencializa a absorção da nicotina.

Durante a queima do produto, diversos compostos são formados primeiramente na corrente principal e em seguida na corrente secundária. A corrente principal é formada desde de a ponta acesa do cigarro, passando através da coluna do cigarro chegando até a boca durante a tragada. A corrente secundária é formada pela mistura de compostos emitidos pela ponta acesa para o meio ambiente.

A seguir são apresentadas as distribuições desses compostos na fumaça dos cigarros e em quanto aumentam os riscos à saúde quando inalados. A tabela 1 apresenta os componentes da fumaça que estão associados em maior ou menor grau com o desenvolvimento de câncer, sendo a IARC/MS (International Agency Research on Cancer), a agência de pesquisa referenciada pela OMS para analisar compostos suspeitos de causarem câncer.

 

Tabela 1. Substâncias químicas que são encontradas na fumaça dos cigarros (lista em ordem alfabética), com a classificação dos compostos comprovadamente cancerígenos ou seus respectivos potenciais cancerígenos

 

Obs: Segundo classificação da IARC: 1 : reconhecidamente cancerígeno para humanos

2A: provavelmente cancerígeno para humanos

2B: possivelmente cancerígeno para humanos

3 : não classificado como cancerígeno para humanos

 

Compostos Químicos Classificação da IARC Potencial cancerígeno (mg/Kg/d) Órgãos Alvo Corrente Primária (µg/cigarro Corrente Secundária (µg/cigarro
1,3- Butadieno 2A 3.4 aparelho reprodutor desenvolvimento do feto 35.5 191.0
2-Aminonaftaleno 1 1.8   0.007 0.039
3-Etenilpiridina       662  
4-Aminobifenila 1 21   0.0012 0.01
4-N- nitrosometilamino) -1- (3-piridil)- 1-butanona (NNK) 2B     0.3 0.195
Acetaldeído 2B 0.01 sistema respiratório 680 1571
Acetona       287 917
Acroleina 3   sistema respiratório sistema ocular 68.8 306
Acrilonitrila 2A 1 sistema respiratório 8.9 86.2
Amônia     sistema respiratório 12.2 4892
Arsênico 1 12

desenvolvimento do feto

 sistema cardiovascular

sistema nervoso

0.7  
Benz(a)antraceno 2A 0.39   0.045  
Benzeno 1 0.1

desenvolvimento do feto

sistema cardiovascular

sistema nervoso

sistema imunológico

46.3 272
Benzo(a)pireno 2A 3.9   0.0099 0.141
Benzo(b)fluoranteno 2B 0.39   13  
Benzo(j)fluoranteno 2B 0.39   0.00135  
Benz(k)fluorantheno 2B 0.39   0.009  
Berílio 1 8.4   0.00025  
Butiraldeído       32.4 88.2
Cádmio 1 15

sistema renal

sistema respiratório

0.103 0.736
Monóxido de carbono   sistema cardiovascular   13,609 42,451
Catecol 2B     88.2 164.9
Dioxinas Policloradas e Furanos Policlorados 1 1.3E5

desenvolvimento do feto

sistema imunológico

sistema respiratório

sistema endócrino

sistema digestivo

0.000075 0.000152
Cromo (hex) 1 51 sistema respiratório 0.0042 0.054
Criseno 3 0.039   0.05  
Crotonaldeído 3     14.2 80.9
Dibenz(a,h)acridino 2B 0.39   0.0001  
Dibenz(a,j)acridino 2B 0.39   0.0027  
Diabenz(a,h) anthraceno 2A 4.1   0.004  
7H-Dibenzo (c,g) carbazole 2B 3.9   0.0007  
Dibenzo(a,i)pireno 2B 39   0.0025  
Dibenzo(a,l)pireno 2B 39      
3-Ethenylpyridene         662
Etilbenzeno    

desenvolvimento do feto

sistema digestivo

sistema renal

  130d
Formaldeído 2A 0.021

sistema respiratório

sistema ocular

33.0 407.8
Furfural          
Hydrazina 2B 17

sistema digestivo

sistema endócrino

0.034  
Cianeto de Hidrogênio     sistema cardiovascular 118.4 106
Sulfeto de Hidrogênio     sistema respiratório    
Hidroquinona       72.2 183.5
Indeno (1,2,3-c,d) pireno 2B 0.39   0.012  
Isopreno 2B     264 1140
Chumbo 2B 0.042   0.0128 0.045
m + p cresol     sistema cardiovascular 14 79.6
Mercúrio     sistema nervoso 0.0052  
Acrilato de Metila          
Cloreto de Metila          
5-Metilcriseno 2B 3.9   0.0006  
Metil ethil cetona     sistema reprodutor 54.8 175.6
Metilamina          
Metilpirazinas          
Níquel 1 0.91 sistema respiratório sistema imunológico 0.011 0.031
Nicotina         919
óxido nítrico       37.7 1438
dióxido de nitrogênio     sistema respiratório    
2-Nitropropano 2B     0.001  
N-nitrosoanabasina (NAB) 3     0.019  
N-nitrosoanabatina (NAT) 3     72.2 52.3
N-nitroso-n-butylamina (NBA) 2B 11   0.012  
N-nitrosodiethanolamina 2B 2.8   0.03  
N-nitrosodiethylamina (NDEA) 2A 36   0.0083 0.0405
N-nitrosodimetilmina (NDMA) 2A 16   0.0244 1.41
N-nitrosoetilmetilamina 2B 22   0.006  
N-nitrosomorfolina 2B 6.7      
N-nitrosonornicotina (NNN) 2B 1.4   1.9 49.8
N-nitrosopirrolidina (NP) 2B 21   0.113  
o-cresol     sistema cardiovascular 5.7 31
Fenol    

sistema digestivo

sistema cardiovascular

sistema renal

sistema nervoso

26.1 330
Propionaldeído       49.8 128.3
Piridina       11.8 250.8
Pirrole         402
Quinolina       0.356 10.1
Resorcinol       1.2 0.94
Selenium     sistema respiratório    
Estireno 2B   sistema nervoso 5.71 c 99.5 c
Toluene    

sistema nervoso

sistema digestivo

72.8

499
2- Toluidina       0.115 e  
Uretane 2B 1   0.029  
Acetato de Vinila 2B   sistema respiratório    
Cloridrato de Vinila 1 0.27   0.0086  
Xilenos    

sistema nervoso

sistema respiratório

366  
.

Evidências de carcinogenicidade em humanos e animais

 

 

Aminas Aromáticas - IARC MONOGRAPHS on the evaluation of the carcinogenic risk of chemicals to humans, vol. 38, pág. 107-109, 1986

"Cerca de 200 aminas são identificadas na fumaça do tabaco. Entre elas destacam-se as que possuem potencial comprovadamente cancerígeno para humanos: 2-naftilamina, 4-aminobifenila, orto-toluidina, anilina, N-fenil-2-naftilamina e orto-anisidina"

 

Hidrocarbonetos policíclicos aromáticos - IARC MONOGRAPHS on the evaluation of the carcinogenic risk of chemicals to humans - Tobacco Smoking, vol. 38, pág.100, 1986

 

"Análises realizadas da fumaça de cigarros produzidos com tabaco tipo virginia, burley e oriental comprovaram a presença de pelo menos 35 diferentes hidrocarbonetos policíclicos aromáticos. O potencial cancerígeno desses compostos para animais e humanos têm sido exaustivamente estudados. Destacam-se o benzo[a]antraceno e o benzo[a]pireno, que possuem carcinogenicidade comprovada para o homem.

 

Foi observado que em cigarros do tipo bidis a presença desses dois compostos foi quase duas vezes maior que em cigarros comuns sem filtro (Comparative chemical analysis of Indiam bidi and American cigarette smoke, Hoffmann et al., Int. J. Cancer, 14, 49-53, 1974). "

 

Benzeno - IARC MONOGRAPHS on the evaluation of the carcinogenic risk of chemicals to humans, vol. 7, 1986, pág. 96-97

 

"O benzeno encontrado em na corrente primária e secundária da fumaça dos cigarros com e sem filtros. É um composto já bem estudado quanto a sua capacidade de capaz de causar câncer em humanos.

Diversos estudos têm demonstrado a relação entre a exposição ao benzeno e vários tipos de leucemia."

 

As, Cd, Ni e Cr - IARC - MONOGRAPHS on the evaluation of the carcinogenic risk of chemicals to humans, vol. 38, 1986, pág.s.114 -116; vol.1, pág..41; vol.2, pág..48-73; vol.2, pág..74-99; vol.2, pág..100-125, vol.2, pág..126-149

 

"As evidências de carcinogenicidade para humanos para determinados metais pesados foram bem avaliadas pela IARC. Compostos como o arsênico (As), cromo hexavalente (Cr), níquel (Ni) e o cádmio (Cd) e compostos a base destes metais estão associados ao câncer em humanos".

 

N-Nitrosaminas - IARC - MONOGRAPHS on the evaluation of the carcinogenic risk of chemicals to humans - Tobacco Smoking, vol. 38, pág.. 110-11, 1986

 

"Três tipos diferentes de N-nitrosaminas são formadas durante o processamento do tabaco e principalmente durante a queima: n-nitrosaminas voláteis, nitrosaminas não voláteis e nitrosaminas específicas do tabaco. A carcinogenicidade de cada uma dessas têm sido estudada pelo IARC. Entre as n-nitrosaminas voláteis a mais abundante é a N-nitrosodimetilamina (NDMA), que possui potencial comprovadamente cancerígeno para humanos. Entre as N-nitrosaminas específicas do tabaco, as que possuem potencial cancerígenos para os humanos são a N’-nitrosonornicotina (NNN) e a 4-(metilnitrosamino)-1-(3-piridil)1-butanona (NNK) ".

 

NO x: IARC - MONOGRAPHS on the evaluation of the carcinogenic risk of chemicals to humans, vol. 38, pág. 95-96, vol.27, pág.. 63-80, vol.4, pág.. 127-136 e vol. 29 pág..331-343

 

"A presença de óxidos de nitrogênio na corrente primária pode contribuir para a formação de N-nitrosaminas cancerígenas tanto durante a queima do tabaco, quanto no organismo após a inalação da fumaça, em fumantes e fumantes passivos." IARC - MONOGRAPHS on the evaluation of the carcinogenic risk of chemicals to humans - Tobacco Smoking, vol. 38, pág. 114, 1986

 

Fenóis e Polifenóis : IARC MONOGRAPHS on the evaluation of the carcinogenic risk of chemicals to humans, vol. 36 pág.. 75-97

"Foram identificados mais de 200 fenóis semi-voláteis na fumaça dos cigarros. Encontramos fenóis nas folhas superiores da planta do tabaco. O Eugenol é encontrado em altas concentrações nos cigarros da Indonésia (cigarros de Bali ou kreteks). Este composto pode entre outros sintomas, pode causar paralisia facial".