ABP - Assoc. Brasileira de Psiquiatria

    

O que é Depressão ?

Ao contrário do que se pensa, a Depressão não é simplesmente o sentimento de tristeza, muitas vezes expresso por "fossa" ou "baixo astral". A Depressão é uma doença assim como a hipertensão, o diabetes, a asma etc., que, na verdade afeta o indivíduo como um todo, pois pode comprometer o pensamento, comportamento, humor, os sentimentos e também a saúde física. Caracteriza-se por uma série de sintomas que veremos a seguir.

Antes, porém, é importante ressaltarmos alguns aspectos relacionados à Depressão:

·         A Depressão é, às vezes, confundida com tristeza, luto e outros sentimentos negativos. Isto se deve ao fato de a palavra Depressão ser, freqüentemente, usada para descrever tais sentimentos, que, embora sejam semelhantes aos sintomas da Depressão, não configuram a doença propriamente dita.

·         A depressão pode ocorrer simultaneamente a outras doenças e ser confundida com estas.

·         Problemas sociais tendem a dificultar o reconhecimento da doença ou a procura do profissional de saúde.

·         Sintomas como tristeza, fadiga, desesperança, problemas relacionados ao sono e dificuldades de memória, ocorrem habitualmente em muitas pessoas com mais de 65 anos. No entanto, destas, algumas desenvolvem Depressão e devem ser tratadas.

·         A Depressão é mais freqüente no sexo feminino.

Como reconhecer a depressão - sintomas

A maioria das pessoas que sofre de Depressão apresenta:

·         Sentimentos profundos de tristeza, desesperança e/ou irritabilidade.

·         Perda do interesse por situações que antes causavam prazer, inclusive lazer e sexo

·         Os sintomas acima descritos, presentes de maneira contínua por um período mínimo de duas semanas, acompanhados de quatro ou mais sintomas da seguinte relação:

·         Perda da auto-estima; autodesvalorização; pessimismo.

·         Crises de choro.

·         Alteração do apetite com ganho ou perda de peso.

·         Alterações do sono: dificuldade para dormir; dormir em excesso; sono irregular; acordar mais cedo do que o habitual.

·         Dificuldade de se concentrar, de pensar e de memorizar, indecisão.

·         Sentimento de culpa; idéias sobre pecado ou doenças físicas que não correspondem à realidade.

·         Pensamento de morte ou suicídio; tentativa de suicídio.

·         Sintomas físicos, como dor de cabeça, dor lombar e/ou sintomas digestivos persistentes, sem causa orgânica, que não melhoram com tratamento.