As pessoas com epilepsia devem trabalhar e fazer outras coisas como a maioria das pessoas?
     Na maioria dos casos, sim. Está comprovado que os pacientes com epilepsia sofrem menos ataques quando levam uma vida ativa e normal. A maior parte deles pode trabalhar, praticar esportes, ir à escola, casar e ter filhos.

          A epilepsia é contagiosa? (Pega?)
     De forma nenhuma! A idéia de que a epilepsia possa passar de uma pessoa a outra através da saliva (baba), urina etc., não tem qualquer fundamento.

          0 que se pode fazer quando uma pessoa sofre um ataque epiléptico?
     A primeira regra é manter a calma. Nada pode ser feito para interromper o ataque, uma vez que já tenha começado. Não tente segurar a pessoa. A área ao redor dela deve ficar livre para que não se machuque. Não interfira de nenhuma maneira nos seus movimentos. Finalmente, não coloque nada à força entre seus dentes. Se a boca já estiver aberta pode ser colocado um objeto macio (por exemplo, um lenço) na parte lateral dos dentes.

          A pessoa que sofre um ataque deve ser levada ao pronto-socorro?
     Geralmente não é necessário, a menos que o ataque seja seguido quase imediatamente de outro ataque ou se o ataque durar mais de dez minutos.

          0 que devo fazer depois do ataque?
     Deixe o paciente descansar, se assim ele o desejar; trate o incidente de forma tranqüila e natural. Não perturbe o paciente ficando alarmado ou dando importância ao ataque.

          Existem organizações que estão fazendo algo para ajudar as pessoas que sofrem de epilepsia?
     Sim. A Liga Brasileira de Epilepsia (L.B.E.), que, além de visar ao aperfeiçoamento médico no que se refere à epilepsia, inclui em seu quadro associativo: médicos, pessoal paramédico, familiares e o próprio epiléptico congregados num Grupo de Ação Comunitária. Este Grupo visa ao estudo, à coordenação e a importância de recursos que venham beneficiar a pessoa portadora de epilepsia, em suas dificuldades sociais, escolares e profissionais.