Dos mais de 20 mil leitos dos SUS fechados,
6.968 são da psiquiatria, diz CFM

Segundo relatório do CFM divulgado nesta semana, a psiquiatria é a segunda especialidade que mais sofreu com o fechamento dos leitos do SUS nos últimos 4 anos, estamos com menos 6.968. Em primeiro lugar está a especialidade cirúrgica com menos 7.492 leitos, seguida pela psiquiatria e depois obstetrícia com menos 3.926 e cirurgia geral com menos 2.359.

Em números absolutos, os estados das regiões Sudeste são os que mais sofreram com redução no período, em grande parte pelos resultados do Rio de Janeiro, onde 5.977 leitos foram desativados desde julho de 2010. Na sequência, aparece o Nordeste, com 3.533 leitos desativados no período. Centro-Oeste e Norte sofreram cortes de 1.306 e 545 leitos, respectivamente. A região Sul é a única que apresenta ligeira alta de leitos com 417 a mais.

Os números deixaram o Brasil como um dos piores países no ranking da Organização Mundial de Saúde (OMS) e da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), que classifica os sistemas universais de saúde. Apesar de não existir uma taxa ideal o último relatório de Estatísticas de Saúde Mundiais da OMS, o Brasil possuía 2,3 leitos hospitalares (públicos e privados) para cada grupo de mil habitantes no período de 2006 a 2012. A taxa é equivalente à média das Américas, mas inferior à média mundial (2,7) ou as taxas apuradas, por exemplo, na Argentina (4,7), Espanha (3,1) ou França (6,4).

Além dos leitos psiquiátricos a especialidade também enfrenta a falta de medicamentos psicotrópicos nas Farmácias Populares. A ABP já denunciou esse problema e em recente visita ao Ministério da Saúde fez sugestões para solucioná-lo.

 

Fonte: