Síndromes relacionadas ao uso de álcool e outras substâncias psicoativas

 

 

Michele Dorneles Valenti

 

.

O abuso de substâncias ocorre em todos os segmentos da sociedade. O abuso provoca uma redução do desempenho no trabalho e nos estudos, acidentes, intoxicação durante o trabalho, faltas injustificadas, crimes violentos e furtos. Os adolescentes são o grupo etário mais vulnerável ao desenvolvimento de problemas relacionados ao uso de substâncias. Os homens estão em maior risco do que as mulheres.

A Dependência é a necessidade psicológica ou física de continuar consumindo a substância. A dependência física é caracterizada pela síndrome de abstinência e pela tolerância: ou seja, a necessidade de consumir a substância para evitar a síndrome de abstinência.

A Intoxicação é uma síndrome associada com a ingestão recente da droga. O quadro de efeitos com qualquer droga pode variar amplamente, dependendo de fatores como dose, circunstâncias e personalidade do usuário.

A Abstinência é uma síndrome psicoativa específica à substância após a cessação de uso prolongado (implica em tolerância e indica dependência). 

 

 

Droga

Intoxicação: Efeitos Comportamentais.
Intoxicação: Efeitos Físicos e Achados Laboratoriais.
Abstinência: Efeitos Comportamentais e Físicos.

Opióides (ópio, morfina, meperidina, heroína)

 

Obnubilação; hipovigilância e hipotenacidade; desorientação; comprometimento da memória, afeto eufórico; pensamento lentificado; anorexia, impulso sexual diminuído, lentificação psicomotora, fala arrastada  

Miose, prurido, náuseas, bradicardia, constipação, marcas punctórias em braços, pernas, virilhas;

Podem ser detectados no sangue até 24h após a última dose;

Ansiedade, avidez pela droga, inquietação;

Sintomas gripais, lacrimejamento, bocejos, sudorese, insônia, ondas de calor e frio, dores musculares, cólicas abdominais, náuseas, vômitos, diarréia, pupilas dilatadas, piloereção, tremores, sinais vitais aumentados.  

 

 

Anfetamina, Cocaína, Ecstasy (simpaticomiméticos)  

 

Maior senso de alerta, hipervigilância e hipotenacidade, alucinações visuais e táteis, avaliação da memória e da inteligência prejudicadas em função da atenção, afeto eufórico ou ansioso, com irritabilidade, pensamento rápido, pode ter ideação paranóide ou grandiosa, perda do juízo crítico, agressividade, interesse sexual aumentado, agitação psicomotora, loquacidade (logorréia e taquilalia).

delirium

Midríase, tremor, halitose, boca seca, taquicardia, hipertensão, febre, convulsões, perfuração do septo nasal, impotência;

Detectados no sangue e na urina.

Ansiedade devido à avidez pela droga; pode ser seguida por uma síndrome depressiva: humor deprimido, pensamentos de desesperança, culpa, desvalia e impotência; ideação suicida conduta: fadiga, letargia, lentificação psicomotora, tentativa de suicídio.

 

Maconha (Cannabis)  

 

Obnubilação leve, hipo ou hipervigilância, hipotenacidade, raras alucinações, desorientação temporal, euforia ou ansiedade (ataque de pânico em doses muito altas), idéias delirantes persecutórias leves, despersonalização, julgamento prejudicado, retraimento social, riso imotivado, aumento do apetite.

Congestão das conjuntivas, hipotermia dose-dependente, boca seca e taquicardia; O teste do THC (tetrahidrocanabinol) na urina permanece positivo por vários dias após a intoxicação.

Não há abstinência. O uso a longo prazo pode provocar:

  •  síndrome amotivacional apática;

  •  síndromes ansiosas; 

  •  síndromes depressivas.  

 

Alucinógenos (LSD, cogumelos-psilocibina)

 

Síndrome psicótica: Alerta, hipovigil e hipotenaz, alucinações visuais, avaliação de orientação, memória e inteligência prejudicadas pela atenção reduzida, euforia, ideação paranóide e falso senso de realização e força, despersonalização e desrealização, juízo ausente, conduta suicida ou homicida.

Síndrome ansiosa: ataque de pânico - "viagem ruim".

Síndrome depressiva

Midríase, ataxia, hiperemia das conjuntivas, taquicardia, hipertensão, flashbacks da síndrome de intoxicação mesmo quando em abstinência;

Nenhum achado laboratorial.

Não há abstinência.  

 

Barbitúricos, benzodiazepínicos e outros depressores do SNC 

 

Obnubilação, hipovigilância e hipotenacidade, orientação pode ser perdida, memória: aquisição prejudicada; inteligência: avaliação prejudicada; afeto plano, pensamento lentificado, lentificação psicomotora, fala arrastada e disártrica.

delirium

Sudorese, ataxia, hipotensão, convulsões, miose;

Detectados no sangue.

A abstinência é uma condição potencialmente fatal, caracterizada por náuseas, vômitos, mal-estar, fraqueza, hiperatividade autonômica, ansiedade, irritabilidade, sensibilidade aumentada aos estímulos sensoriais, insônia acentuada, tremor grosseiro, convulsões.  

 

Cola, benzeno, gasolina, solventes, fluido de isqueiro, aerossóis  

 

Delirium: períodos de obnubilação, hipovigilância e hipotenacidade, alucinações em 50% dos casos, orientação, memória e inteligência: avaliação prejudicada; euforia, pode haver idéias delirantes com perda do juízo crítico e conduta congruente com o conteúdo do pensamento e agressividade; fala arrastada.

Odor no hálito, taquicardia com risco de fibrilação ventricular, dano cerebral permanente, se usado por mais de 6 meses, possível dano aos rins e fígado;

SGOT e SGPT alteradas.

A abstinência é desconhecida.

 

Álcool  

 

Consciência varia na proporção da dose, do alerta ao coma; prejuízo da atenção, desorientação e amnésia podem ocorrer, afeto eufórico ou deprimido, pensamento lentificado, pode ter conteúdos delirantes de grandeza, de ruína ou persecutórios, fraco juízo, agressividade, hipersexualidade, loquacidade ou fala arrastada.

Nistagmo, rubor facial, ataxia;

Nível sangüíneo entre 100 e 200 mg/dl.

A forma mais grave de abstinência é conhecida como Delirium tremens, com hiperatividade autonômica associada. Essa forma de delirium se caracteriza por alucinações visuais de insetos ou pequenos animais, alucinações táteis, ilusões, ideação paranóide e aceleração psicomotora.

O uso continuado do álcool pode produzir transtornos amnésticos: Síndrome de Wernicke: quadro agudo por deficiência de tiamina: delirium leve, caracterizado por atenção reduzida, perturbação da memória recente com confabulação, insônia ansiosa, medo do escuro, nistagmo, ataxia e oculoplegia. Síndrome de Korsakoff: deficiência crônica de tiamina, gerando amnésia com confabulação e desorientação.  

 


BIBLIOGRAFIA:

1. KAPLAN H.I, SADOCK B.J. Manual de Psiquiatria Clínica. Porto Alegre. Editora Artes Médicas, 1998, 2ª edição.