D E M Ê N C I A

   

     A demência é uma síndrome decorrente de uma doença cerebral, usualmente de natureza crônica ou progressiva, na qual há perturbação de múltiplas funções corticais superiores, incluindo memória, pensamento, orientação, compreensão, cálculo capacidade de aprendizagem, linguagem e julgamento.   Não há obnubilação de consciência.   Os comprometimentos de função cognitiva são comumente acompanhados, e ocasionalmente precedidos, por deterioração no controle emocional, comportamento social ou motivação.   Esta síndrome ocorre na doença de Alzheimer, na doença cerebrovascular e outras condições que, primária ou secundariamente, afetam o cérebro.  

     Na avaliação da presença ou ausência de uma demência, deve-se tomar cuidado especial em evitar identificação falso-positiva:  fatores motivacionais, particularmente depressão, associados a lentidão motora e fraqueza física geral, ao invés de perda da capacidade intelectual, podem ser responsáveis por falha de desempenho.

     A demência produz um declínio apreciável no funcionamento intelectual e usualmente alguma interferência com atividades pessoais do dia-a-dia, tais como limpeza, vestimenta, alimentação, higiene pessoal, atividades fisiológicas e de toalete.   Como tal declínio se manifesta dependerá  amplamente do meio social e cultural no qual o paciente vive.   Alterações no desempenho de papéis, tais como uma diminuição na capacidade de manter ou encontrar um emprego, não devem ser usadas como critérios de demência devido às grandes diferenças transculturais que existem sobre o que é apropriado e porque pode haver, freqüentes, alterações externamente impostas na disponibilidades de trabalho dentro de uma cultura em particular.