Especificador com Características Atípicas


        O Especificador com Características Atípicas pode ser aplicado ao Episódio Depressivo Maior atual (ou mais recente) no Transtorno Depressivo Maior e a um Episódio Depressivo Maior no Transtorno Bipolar I ou Transtorno Bipolar II apenas se este é o tipo mais recente de episódio de humor, ou ao Transtorno Distímico. O termo "Depressão Atípica" tem significado histórico (i. é, atípica em contraste com os quadros "endógenos" mais clássicos de depressão) e não conota um quadro clínico incomum, como o nome pode sugerir. As características essenciais são reatividade do humor (Critério A) e presença de pelo menos duas das seguintes características (Critério B): aumento do apetite ou ganho de peso, hipersonia, paralisia "de chumbo" e um padrão persistente de extrema sensibilidade à percepção de rejeição interpessoal. Essas características predominam durante o período mais recente de 2 semanas (ou durante o período mais recente de 2 anos para o Transtorno Distímico). O especificador Com Características Atípicas não é atribuído se os critérios para Com Características Melancólicas ou Com Características Catatônicas foram satisfeitos durante o mesmo Episódio Depressivo Maior. Quando usado para descrever o Episódio Depressivo Maior mais recente (e não um episódio atual), o especificador é aplicado as características predominam durante um período de 2 semanas.

        A reatividade do humor consiste na capacidade de se alegrar frente a eventos positivos (p. ex., uma visita dos filhos, elogios). O humor pode permanecer eutímico (não triste) até por longos períodos quando as circunstâncias externas permanecem favoráveis. O aumento do apetite pode ser manifestado por um claro aumento no consumo alimentar ou por ganho de peso. A hipersonia pode incluir um extenso período de sono noturno ou cochilos diurnos que totalizam no mínimo 10 horas de sono por dia (ou pelo menos 2 horas a mais do que quando não deprimido). A paralisia "de chumbo" é definida como se sentir pesado ou "de chumbo", geralmente nos braços ou nas pernas, e em geral está presente pelo menos uma hora por dia, mas com freqüência dura muitas horas seguidas. Diferentemente de outras características atípicas, a sensibilidade patológica à percepção de rejeição interpessoal é um traço com início precoce que persiste durante a maior parte da vida adulta. A sensibilidade à rejeição ocorre quando a pessoa está e quando não está deprimida, embora possa ser exacerbada durante os períodos depressivos. Os problemas resultantes da sensibilidade à rejeição devem ser suficientemente significativos para resultar em prejuízo funcional. Podem ser observados relacionamentos tempestuosos, com freqüentes rompimentos e um fracasso em manter um relacionamento duradouro. A reação do indivíduo a rejeições ou críticas pode ser manifestada por sair mais cedo do emprego, usar substâncias em excesso ou exibir outras respostas comportamentais mal adaptativas e clinicamente significativas. Pode haver, também, uma esquiva a relacionamentos, devido ao medo da rejeição interpessoal. Sentir-se ocasionalmente suscetível ou hiperemotivo não se qualifica como uma manifestação de sensibilidade à rejeição interpessoal. Os Transtornos da Personalidade (p. ex., Transtorno da Personalidade Esquiva) e Transtornos de Ansiedade (p. ex., Transtorno de Ansiedade de Separação, Fobia Específica ou Fobia Social) podem ser mais comuns nos indivíduos com características atípicas. Os achados laboratoriais associados a um Episódio Depressivo Maior Com Características Melancólicas em geral não estão presentes em associação com um episódio com características atípicas.

        As características atípicas são duas a três vezes mais comuns em mulheres. Os indivíduos com características atípicas relatam uma idade mais precoce de início de seus episódios depressivos (p. ex., durante o ensino médio) e com freqüência tem um curso mais crônico e menos episódico, com recuperação apenas parcial entre os episódios. Os indivíduos mais jovens podem estar mais propensos a ter episódios com características atípicas, enquanto os indivíduos com mais idade podem ter episódios com características melancólicas com maior freqüência. Os episódios com características atípicas são mais comuns no Transtorno Bipolar I, no Transtorno Bipolar II e no Transtorno Depressivo Maior Recorrente, ocorrendo em um padrão sazonal. Os Episódios Depressivos com Características Atípicas tendem mais a responder ao tratamento com inibidores de monoaminoxidase do que com depressivos tricíclicos. O valor preditivo das Características Atípicas é menos claro com novos tratamentos, tais como inibidores seletivos da recaptação de serotonina ou com as psicoterapias interpessoal ou cognitiva.

Critérios para Especificador Com Características Atípicas

Especificar se:

Com Características Atípicas: (pode ser aplicado quando estas características predominam durante as duas semanas mais recentes de um Episódio Depressivo Maior, ou no Transtorno Bipolar I ou Transtorno Bipolar II, quando o episódio Depressivo Maior é o tipo mais recente de episódio de humor, ou quando estas características predominam durante os 2 anos mais recentes de Transtorno Distímico se o Episódio Depressivo Maior não é atual, aplica-se caso as características predominem durante um período de 2 semanas).

A. Reatividade do humor (i. é, o humor melhora em resposta a eventos positivos reais ou potenciais).

B. Duas (ou mais) das seguintes características:
(1) ganho de peso ou aumento do apetite significativos
(2) hipersonia
(3) paralisia "de chumbo" (i. é, sensações de peso, de ter chumbo nos braços ou nas pernas)
(4) padrão persistente de sensibilidade à rejeição interpessoal (não limitado aos episódios de perturbação do humor) que resulta em prejuízo social ou ocupacional significativo.

C. Não são satisfeitos os critérios para Com Características Melancólicas ou Com Características Catatônicas durante o mesmo episódio.