A dor

 

(continuação da página anterior)

 

 

Principais tipos de dor neurológica

1) Neurítica

2) Radicular

3) Central

 

 

Sistema límbico, mostrando a posição chave do hipotálamo. (Fonte: Apud. Guyton  & Hall: Tratado de fisiologia médica. Ed. Guanabara Koogan, R. de Janeiro, 2002)

 

 

As áreas da punição do sistema límbico são apenas 1/7 das áreas de recompensa, mas mesmo assim o(s) estímulo(s) dos centros de punição podem inibir totalmente os centros de recompensa e prazer, ilustrando que a punição e o medo podem prevalecer sobre o prazer e a recompensa.

São um dos mais importantes controladores de nossas atividades orgânicas, de nossas motivações etc.

 

Diagrama que ilustra os conceitos básicos da teoria do controle da porta. SG significa substância gelatinosa: T significa células de transmissão. A. Localização da porta aberta. B. Localização da porta fechada. (Fonte: O. Burkhalter e D. Donley: Dynamics of Oncology Nursing. McGraw-Hill, N. York, 1978.)

 

 

Campos segmentares da sensação - dermátomos

Cada nervo espinhal inerva um “campo segmentar” da pele, chamado de dermátomo. Os diferentes dermátomos são mostrados na figura. 

 

 

Dermátomos (Modificado de Grinker RR, Sahs AL: Neurology, 6th ed. Springfield IL: Charles C. Thomas, 1966). (Fonte: Apud. Guyton  & Hall: Tratado de fisiologia médica. Ed. Guanabara Koogan, R. de Janeiro, 2002)

 

 

 

Áreas de controle autonômico no tronco cerebral e no hipotálamo

 

 

 

Áreas do córtex cerebral que se conectam com porções específicas do tálamo. (Modificado de Elliot: TextBook of the Nervous System. Philadelphia: JB Lippincott). (Fonte: Apud Guyton  & Hall: Tratado de fisiologia médica. Ed. Guanabara Koogan, R. de Janeiro, 2002)

 

 

Localizações das principais áreas de associação do córtex cerebral, mostradas em rosa claro, adjacentes às áreas motoras primárias e secundárias e às áreas sensoriais. (Fonte: Apud Guyton  & Hall: Tratado de fisiologia médica. Ed. Guanabara Koogan, R. de Janeiro, 2002)

 

 

Áreas funcionais do córtex cerebral humano conforme determinação por estimulação elétrica do córtex durante operações neurocirúrgicas e por exame neurológico de pacientes com regiões corticais destruídas. (Redesenhado de Penfield W. Rasmussen T: The Cerebral Cortex of Man: A Clinical Study of Localization of Function. New York: Hafner Co, 1968.) (Fonte: Apud Guyton  & Hall: Tratado de fisiologia médica. Ed. Guanabara Koogan, R. de Janeiro, 2002)