CARACTERÍSTICAS DA PSICOTERAPIA RESUMOS
 



Psiquiatria Ciência Comportamental e Fundamentos Clínicos
Jerald Kay, Allan Tasman, Jeffrey A. Lieberman
Editora Manole
1º Ed. 2002


 
Alguns Mecanismos de Defesa Comuns

 
Repressão
Relegação de desejos, necessidades ou impulsos ameaçadores para o inconsciente
Projeção
Atribuição de pensamentos ou sentimentos conflitantes para outra pessoa ou para um grupo de pessoas
Negação
Recusa em avaliar informação sobre si mesmo ou sobre os outros
Identificação
Padronização de si mesmo de acordo com outra pessoa
Identificação projetiva
Atribuição de característica inaceitáveis da personalidade para outra pessoa, seguida de identificação com o outro
Regressão
Retorno parcial a níveis anteriores de adaptação para evitar conflito
Divisão
Experiência de outras pessoas como sendo totalmente boas ou totalmente más (isto é, idealização ou desvalorização).
Formação reativa
Transformação de um pensamento ou sentimento indesejado no seu oposto
Isolamento
Separação de um sentimento de sua idéia desagradável
Racionalização
Utilização de explicação aparentemente lógicas para tornar sentimentos ou pensamentos insustentáveis mais aceitáveis
Deslocamento
Redirecionamento de sentimentos ou pensamentos desagradáveis para outro objeto
Dissociação
Divisão do pensamento ou sentimento de sua fonte original
Conversão
Transformação de desejos ou pensamentos inaceitáveis em sensações corporais
Sublimação
Um mecanismo maduro onde pensamentos são canalizados para outros socialmente aceitáveis
 
 
 
Características da Psicoterapia Psicanalítica
 
 
 
Objetivos
    Reorganização parcial da personalidade
    Apreciação de conflitos e mecanismos de defesa relacionados
    Reconstrução parcial do passado
    Alívio dos sintomas
    Melhora dos relacionamentos interpessoais
Características do Paciente
    Transtornos da personalidade moderados a severos (por exemplo, boderline)
    Alguns transtornos afetivos com e sem medicação (por exemplo, depressão         maior, distimia)
Técnicas
    Postura terapêutica ativa
    Face a face (sentado)
    Uma a três sessões semanais
    Associação livre limitada
    Foco ativo em questões de vida atuais
    Análise da transferência limitada
    Algumas técnicas de apoio
    Uso liberal de medicação
    Esclarecimento e interpretação
Duração de Tratamento
    Meses a anos (pode ou não ser mais curta que psicanálise)
 
 
 
Intervenções Comparativas
 
 
Expressiva
Contínuo
Apoio
Confrotação
Sugestão
Esclarecimento
Reasseguramento
Interpretação
Aconselhamento
Interpretação da transferência
Intervenção e manipulação do ambiente
 
 
 
Características da Psicoterapia Psicanalítica de Apoio
 
 
 
Objetivos
    Manter o nível atual de funcionamento psicológico
    Restaurar a adaptação pré-mórbida, se possível
    Melhorar os macanismos de tolerância
    Fortalecer os mecanismos de defesa, a não ser que sejam mal-adaptados
    Apoiar o teste da realidade
    Aliviar os sintomas
    Diminuir o sofrimento mental
Característica do Paciente
    Transtornos de caráter severos
    Déficits crônicos do ego
    Transtornos do pensamento
    Mentalidade psicológica limitada
    Relacionamentos interpessoais inadequados
    Controle dos impulsos inadequado
    Baixa tolerância à frustação
    Tendência à regressão
    Algum potencial para aliança terapêutica
    Passividade extrema
    Incapacidade de verbalizar afetos
    Indivíduos em situação de crise (perda catastrófica, trauma psíquico agudo,         doença clínica)
    Psicologicamente saudável
    Rede social efetiva
    Alta adaptação pré-mórbida
    Defesas flexíveis
Técnicas
    Previsibilidade e consistência do terapeuta
    Estilo baseado no diálogo
    Confrontação, esclarecimento, orientação
    Foco na resolução de problemas
    Fornecer encorajamento, conselhos, elogios, reasseguramento
    Intervenção ambiental
    Fortalecer o teste de realidade
    Fortalecer os mecanismos de defesa
    Desencorajar regressão
    Reconstrução genética infrequente
    Análise de transferência infrequente
    Menor neurtralidade terapêutica
    Uso frequente de medicação
Duração/Programação do Tratamento
    Geralmente uma vez por semana ou menos
    Duração flexível de sessões
    Varia de duração curta para transtornos reativos em indivíduos que não         precisam ou não estão motivados para auxílio adicional até tratamentos         vitalícios de pacientes com alguns transtornos crônicos.